segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

António Monteiro Cardoso - Até Sempre!


Conheci o António há cerca de16 anos.

Desde aí tive, felizmente, um contacto assíduo com ele e pude conhecê-lo melhor.

António Monteiro Cardoso foi um historiador apaixonado e escreveu livros determinantes para a historiagrafia do século XIX: A Guerrilha do Remexido e A Revolução Liberal em Trás-os-Montes, (1820-1834) são, de acordo com os conhecedores, imprescindíveis.

Mas o António foi mais. Curioso, determinado, escreveu Timor na 2.ª Guerra Mundial — O Diário do Tenente Pires que também passou a ser uma referência para o estudo do papel dos timorenses na última guerra.

Autor ainda de um livro de ficção, Boas Fadas que te Fadem, a sua imaginação voava por tudo o que gostava.

Autor de diversos artigos de história e opinião, o António foi um homem de cultura brilhante.

Para além de intelectual de grande envergadura, era um homem muito generoso, com um humor acutilante, divertido e um grande contador de histórias; ouvi-lo era aliciante.

Foi também um lutador como ficou provado pela luta exemplar que travou nos últimos anos contra a doença que o levou. Adorava a vida.

Partilhei com ele grandes momentos.

Mas, acima de tudo, foi um Amigo. Um grande Amigo.

Vou ter muitas saudades dele.
Enviar um comentário