terça-feira, 19 de abril de 2016

"Aloysio Nunes se reúne com autoridades norte-americanas um dia depois da votação do impeachment"


O site The Intercept, comandado pelo jornalista Glenn Greenwald, publicou na segunda-feira (18) uma reportagem sobre a ida do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) a Washington, nos Estados Unidos, um dia depois da votação que aprovou o impeachment da presidenta Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados.

O texto lembra a participação do país em golpes contra governos de esquerda latino-americanos, como no caso de 1964, com o início da ditadura militar no Brasil. O silêncio das autoridades norte-americanas em relação à atual instabilidade que pode levar à derrubada de Dilma seria o indício de que há interesses escusos por trás das atitudes da oposição ao PT.

Nunes passará três dias no exterior, reunido com lobistas e lideranças políticas. Os encontros incluem o presidente e um membro do Comitê de Relações Internacionais do Senado, Bob Corker (republicano, do estado do Tennessee) e Ben Cardin (democrata, do estado de Maryland), e o subsecretário de Estado e ex-embaixador no Brasil, Thomas Shannon, além de comparecer a um almoço promovido pela empresa lobista de Washington, Albright Stonebridge Group.

A matéria destaca ainda a resistência mostrada pelas gestões de Lula e Dilma, ao decidirem não se submeter às imposições comerciais e estratégicas dos Estados Unidos e que, nestes casos, um governo de direita seria muito mais conveniente. “A viagem para Washington dessa figura principal da oposição, envolvida em corrupção, um dia após a Câmara ter votado pelo impeachment de Dilma, levantará, no mínimo, dúvidas sobre a postura dos Estados Unidos em relação à remoção da presidente”, afirma, ressaltando que a visita foi divulgada como ordem do vice-presidente Michel Temer (PMDB), “que está agindo como se já governasse o Brasil”.



Enviar um comentário