quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Até Sempre querida Amiga!


Conheci a Edú quando tinha 13 anos no Liceu Rainha D. Leonor.
Era uma moça com olhos grandes cheios de ternura.
Com ela aprendi muitas coisas: o Cinema nas sessões das 18 no Monumental e Império, Fernando Pessoa e Filosofia, mais tarde.
Tivemos altos e baixos na nossa Amizade, mas sempre foi a Edú. A minha amiga do peito, independentemente das divergências. Voltámos sempre a encontrar-nos.
Tenho dela recordações felizes e infelizes, mas a Amizade superou tudo. Nestes últimos meses da sua doença, foi com dor que a acompanhei. Nem sempre como devia. Ela sabe porquê. E isso é que importa.

Enviar um comentário