domingo, 6 de julho de 2014

Vai para a merda Coiso!


O Coiso nasceu a 15 de julho de 1939 no Algarve (para mim, que tenho raízes algarvias de que muito me orgulho é uema verdadeira tristeza).

O Coiso é o político português que mais tempo esteve no poder: 1º ministro de 6 de novembro de 1985 a 28 de outubro de 1995 e Presidente da República desde 2006.

O Coiso foi também ministro de Sá-Carneiro durante dois anos.

O Coiso gosta de betão (não sei se também gosta de laranjas algarvias): construiu, mandou construir ou projetou os milhares de quilómetros de autoestradas de que mais de 50% dos portugueses não se serve.

O Coiso foi um entusiasta da destruição da agricultura, das pescas e da indústria em Portugal para construir as tais autoestradas e o CCB (de que, aliás gosto muito).

O Coiso foi contra os comboios: suspendeu a Linha do Sabor, a Linha do Vouga e a linha do Douro.

O Coiso dizia que queria trabalhar e não o deixavam porque faziam muitas greves.

O Coiso quer agora reconstruir a agricultura, as pescas e a indústria e acha uma pena não haver comboios na Linha do Sabor, do Vouga e do Douro.

O Coiso ganha pouco, diz ele.

O Coiso tem muitas condecorações.

O Coiso gosta muito de agradecer e dar parabéns aos portugueses que se distinguem internacionalmente, mas só aqueles que o apoiam.

O Coiso não ri nem chora.

O Coiso está morto mas, infelizmente, não está enterrado.

Ao Coiso não lhe interessa que Carlos do Carmo tenha ganho um Grammy. A mesma coisa com o Nobel de Saramago.

O Coiso é uma besta!

Vai para a merda Coiso!
Enviar um comentário